Esquizofrenia: o mal de todos os séculos?




A esquizofrenia é uma doença da classe das psicoses, diferente da Neurose que é “normalidade”, segundo Freud, a psicose já é mais intensa e deixa maior complicação no individuo. A Esquizofrenia é bastante conhecida atualmente nos âmbitos da sociedade, apesar de termos várias informações ainda não temos ao certo uma definição de como ela surge, pesquisadores em todo o mundo pesquisam como ela pode se desenvolver tentam entender  quais modificações neurológicas permitem para que a doença se desenvolva, muitos acreditam que fatores ambientais, traumas, humilhações publicas podem contribuir para o seu desenvolvimento. A esquizofrenia segundo a definição do CID 10 /F20 a F29: Caracteriza em geral por distorções fundamentais e características do pensamento e da percepção e por afetos inapropriados ou embotado. Apesar da esquizofrenia ser uma psicose complexa e  traz sofrimento intenso para o paciente, ela na maioria das vezes não deixa sequela  cognitiva,  muitos conseguem esconder por muito tempo até o “surto”. Muitos Esquizofrênicos estão internados em CAPES ou são moradores de rua.




Para entendermos o quão complexa ela é  chamaremos-a de espectro da Esquizofrenia devida aos inúmeros sinais e sintomas que podem aparecer e o médico PSIQUIATRA deverá analisar devido a sua experiência, pois não existe exame que o diagnostique. Tudo isso devido ao ESPECTRO da Esquizofrenia, pois apresentam muitas alternativas, com sintomas que podem assemelhar a outros transtornos e doenças. Segundo o DSM V (Manual diagnostico e Estatístico de transtorno mental), ela possui pelo menos 10 tipos: Transtorno da personalidade esquizotípica, Transtorno delirante, transtorno psicótico breve, transtorno esquizofreniforme, Esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo, transtorno psicótico induzido por substancias medicamentosa, transtorno catatônico devido a outras condições médicas, catatonia não especificada. Cada uma com características que o diferenciam.

O que o paciente precisa apresentar para que o Médico PSIQUIATRA, dê o diagnóstico e comece o tratamento: O enfermo apresentam sintomas que classificam como SINTOMAS POSITIVO: o delírio é bem característico no desenvolvimento da doença. É conceituado delírio segundo a obra Entendendo a Esquizofrenia, dos autores: Leandro Figueiredo. Maria Tereza, Ana Beatriz como:  crença central fantasiosa, capaz de interferir no comportamento, nas atitudes,  nas relações e na forma da pessoa avaliar e julgar a realidade. (2009). O paciente pode apresentar diferença em cada delirium: o persecutório bem característico, o ser estar ciente de que está sendo vigiado, por agências internacionais, FBI, INTERPOL, ou que implantaram chip no celebro, ou ser alvo de abdução alienígena, perpassando por interpretações de ícones da nossa história de Jesus Cristo, Hitler, Napoleão, que podem acreditar ser alguém muito importante ou que possua dom extraordinário. Dentro dos sintomas positivos os pacientes apresentam alucinações que caracterizam como distorção da percepção sensorial sendo comum em qualquer órgão do sentido.

Os auditivos os definem como ouvir vozes, quem nunca “ouviu” alguém dizer as “vozes me mandaram fazer”, muitas das vezes possuem teor negativo, humilhante, algo que os sadios não ouvem. As alucinações visuais o doente pode enxergar coisas que não existem como vultos de fantasma, imagem em vidro como rosto de alguém, contato com demônio ou anjos, ver elefante cor de rosa com asas, perdendo o contato da realidade e transportando para a sua “realidade”

transtornos-do-pensamento-esquizofrenia-13-638

O paciente para ser de fato esquizofrênico precisa apresentar o outro lado: os sintomas negativos, esses são caracterizado por expressão emocional com redução da expressão da emoção pelo rosto, não há contato visual, diminuição de atividades sociais, apresentam distorção do pensamento, percebida a partir do discurso suficientemente prejudicado, comportamento motor anormal, dificuldade de atividade cotidiana: tomar banho, fazer a barba, cortar as unhas, apresentam alterações celebrais e anormalidade significativa e/ou catatonismo. O DSM V afirmar que o diagnóstico ser de Esquizofrenia, o paciente deve apresentar pelo menos dois a três sintomas que citei dos positivos e negativo.




O tratamento sofreu várias alterações durante os séculos e evoluiu bastante. Acredito que Pinel e outros (Freud) foram os pioneiros a pensar um tratamento para aqueles que possuíam algum transtorno, na qual fora pensado os manicômios como alternativas para “recuperar” e envia-los para a sociedade, os tratamentos durante no decorrer da história a (eletroterapia, conceito novo), umas das mais comum no intuito de “resetar” as células doentes e voltar ao seu estado normal, como o avanço da medicina o tratamento farmacoterápico é a melhor alternativa com os antipiscotico de alta potência, juntamente com a psicoterapia, terapia ocupacional e atualmente a terapia cognitiva comportamental.

A esquizofrenia sempre foi tema a ser discutido em vários cenários, principalmente no cinema que retratam de forma bem precisa o decorrer da doença e suas manifestações.

Pensando em cinema alguns filmes bem interessantes discutem a esquizofrenia como tema decorrente, alguns bem conhecido do público, (Uma mente Brilhante, o senhor do labirinto, menos que nada, a dama de ferro, o abrigo, Cisne Negro, Ilha do Medo, O solista, Número 23, tempo de despertar, e quando fala o coração). Ícones da história teve seu diagnóstico de esquizofrenia durante analise de vários pesquisadores, apesar de alguns estarem mortos por muito tempo, há um provável diagnostico. John Nesh, matemático bem conceituado, Vicente Van Gogh, Edgard Allam Poe, Ludwig Van Bethooven, Isaac Newton, são alguns exemplos existe tantos outros que possuíam inteligência muito acima da média, mas sofriam do mal, mas nunca deixaram de apresentar a sua arte.

 



bethooven  

isac

van goh

BEIJING, CHINA - SEPTEMBER 28: (CHINAOUT) American mathematician John Forbes Nash looks onduring day one of the 2011 Nobel Laureates Beijing Forum at the National Museum on September 28, 2011 in Beijing, China. The 2011 Nobel Laureates Beijing Forum will kick off on September 28 and last to September 30 with the theme of Innovation and Development. (Photo by ChinaFotoPress/Getty Images)

Apesar de que a Esquizofrenia ser acometida a 1% da população mundial segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o transtorno é grave e merece cuidados diários, medicamentos devem ser tomado à risca de acordo com orientações do seu médico. O doente deve fazer terapia para conseguir se integrar rapidamente a sociedade, a comunidade deve acolher e perceber que todos nós somos humanos. A família tem importância fundamental deve-se ter apoio integro e cuidados, e respeito.




“As pessoas interpretam tudo aquilo que as convém, por que as suas análises de mundo são baseadas nas suas próprias referências, você só enxerga aquilo que você quer”

Obs.: As informações contidas neste texto são oriundas de referência bibliográfica e vídeo aula. Não tenho competência para diagnóstico ou análise do transtorno. É recomendado que  você procure um médico Especialista (PSIQUIATRA) que irá lhe dar as devidas orientações, textos da internet não são referência para diagnostico. Esse é apenas para aprofundamento de estudo.

REFERENCIA.

CID 10 (Classificação de transtorno Mentais e do Comportamento) Descrições clínica e diretrizes diagnósticas.

DSM-5

Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais-. 5ª Edição.

PALMEIRA, Leonardo Figueiredo. Entendendo a esquizofrenia: como a família pode ajudar no tratamento/ Leonardo Figueiredo Palmeira, Maria Thereza de Moraes Geraldes, Ana Beatriz Costa Bezerra, – Rio de Janeiro: Interciencia, 2009.








Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *