Freud e sua infância

Sigmund Freud médico neurologia, nasceu em Freiberg (1856 – 1939) na região da Morávia, hoje pertencente a república Tcheca, filho de Jacob Freud e Amélia Freud, teve 9 irmãos durante a sua vivência e tinha uma intenção nobre em aliviar o sofrimento psíquico dos seus pacientes, a  partir de investigações médicas que o jovem Freud despertou o interesse em se aprofundar sobre o inconsciente, iniciando uma longa história para a formação do pensamento psicanalítico. Durante a sua juventude o Sigmund viveu em Viena a capital da Áustria cidade que fica ao leste do país, nas margens do Rio Danúbio[1] conhecido por seu legado artístico e intelectual viveram nesta época o Beethoven[2], Mozart[3] a cidade ficou  conhecida pelos seus palácios imperiais, possui uma população de cerca de 1,897 milhão de habitante com dados registado pela Eurostat no ano de 2019.

          Freud dedicou-se muito  do seu tempo de vida para escrever a suas obras e explorar com maior profundidade as questões sobre o que tornaria conhecida como psicanálise, inconsciente e sexualidades temas que no futuro iriam estar consagradas na história do século XX e posterior tornaria o seu legado intelectual deixado para a humanidade, o Freud ditava que o inconsciente diz muito sobre o lado oculto do ser humano, toda a obscuridade que tememos e não queríamos que os demais descobrissem. A sua casa tornou-se uma espécie de laboratório onde recebia os seus pacientes, suas experiências.




          A época que Freud viveu era difícil aceitação, principalmente por questões que envolviam temas polêmicos. Nesta época ficou marcada por ter muitas restrições de pensamentos intelectuais, muitas descobertas se tornavam tabus e sofriam muitas retaliações e opressões pela comunidade cientifica da época e pensar psicanálise com tamanhas restrições era um desafio para o Jovem Sigmund. Os maiores atos de “rebeldia” do jovem médico trataram de conteúdo proibido nesta época pela primeira vez sobre a sexualidade da mulher, surgiram inúmera polêmicas que acometeram discussões na comunidade cientifica. A mulher de época era restrita ao lar e aos afazeres para a satisfação dos desejos do marido e em hipótese alguma poderia ter destaque ou ao menos ser mencionada, ato quebrado no decorrer do tempo.

   

        Todavia O Sigmund resolve reunir  um grupo de médicos, historiadores, escritores para formar  a primeira associação Freudiana: a sociedade psicológica da quarta-feira. Sendo possível perceber seu grupo de amigos conversavam sobre inúmeras questões de suma importância para a intelectualidade da época. A 1.ª reunião teve início em outubro de 1902 sobre a liderança do Freud que era considerado um líder autoritário discutia sobre qualquer conteúdo de relevância  e dentre dos objetivos desse grupo argumentava sobre a histeria, as aspirações eram grandiosas queriam mudar o mundo através da psicanálise está era a revolução que o grupo pretendia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Freud conhece Charcot em Salpêtrière

sáb maio 7 , 2022
              No  ano de  1885 o jovem médico candidata-se  a uma bolsa de estudos em que tinha intenção de dirigir-se ao Hospital da Salpêtrière depois ficou conhecido como hospício Salpêtrière, localizado em Paris, eram uma local onde haviam mulheres com transtornos mentais, a hipnose […]