Estar depressivo ou ser depressivo?

1

O texto de hoje é sobre este problema mundial que acomete  muitas pessoas ao redor do mundo, não escolhe raça,  gênero, etnia ou cultura, todos podem entrar em estado depressivo em algum momento ou até mesmo estar e não saber.  

O que é estar depressivo? 

Segundo o DSM V a” Os transtornos depressivos incluem transtorno disruptivo de desregulação do humor, transtorno depressivo maior (incluindo episódio depressivo maior), transtorno depressivo persistente (distimia), transtorno disfórico pré-menstrual, transtorno depressivo induzido por substância/medicamento, transtorno depressivo devido a outra condição médica, outro transtorno depressivo especificado e transtorno depressivo não especificado. 

Diferentemente do DSM-IV, “Trastorno Depressivos”, “Trastorno Bipolares e Transtornos Relacionados”.   Percebe-se que há inúmeros fatores que possam caracterizar a depressão, por isso é importante não autodiagnosticar e  “pensar”  que esteja depressivo só porque está triste, pois a tristeza é uma condição emocional normal do ser humano. 

O depressivo não apresenta só a condição de tristeza, há outros sintomas que incluem: fadiga, cansaço intenso  que muitos podem confundir com “preguiça” a falta de sentir prazer em qualquer atividade. Normalmente o depressivo vê estas atividades algo torturante e não tem pretensão para realizar a insistência só aumentará o sofrimento e angustia. O aumento das horas de sono é muito comum, apesar que “dormir” bem é importante para tratamento da depressão  o aumento do sono é prejudicial, normalmente este “dormir” demais não representa qualidade, às vezes a inúmeras interrupções durante o descanso,  na madrugada há diversos despertares durante a semana, ficar  “caminhando”  aleatoriamente e inquieto a noite devido ansiedade, angústia e insônia. Portanto, este aumento do sono durante o dia  demais e apenas uma tentativa de recompensar as perdas durante  a noite.

O que causa? Existe um fator determinante para entrar em depressão? 

Pelo incrível que pareça não há fatores que determinam uma pessoa entrar em depressão,  sabia? Por sermos semelhantes, situações do quotidiano podem “exigir” um pouco mais de nós mesmos, alguns podem estar predispostos a ter e outros que passam pelas mesmas situações não entrarem em depressão. Sabe aquele desejo de “vencer” a vida? E a auto-cobrança?  

E a exigência que muitos nos faz, podem   contribuir  para entrarmos em depressão,  mas, não é  “fator” determinante, porém, há inúmeras  condições:  socioeconômica, sexual e condições climáticas contribuir bastante.  Por isso não se pode afirmar que fator ou ouros influenciadores são responsáveis para desenvolver a depressão. 

A questão neurológica 

Pode ser um  problema neuroquímico no seu cérebro? Vamos entender. O nosso cérebro possui dois sistemas de transportes de informações: químico e elétrico, sabia? Isso mesmo, esta eletricidade é muito pequena. E o químico? Agora tem muita “química” no cérebro? Sim, mas estes são produzidos naturalmente ou por interferência externa proveniente dos medicamentos,  alimentação e atividade física.

 O transporte é feito através dos neurotransmissores. Bom, para isso ocorrer precisamos entender os neurônios e como está formado. Observe essa imagem

Estes neurotransmissores são encontrados em nosso cérebro e a falta deles podem contribuir para o surgimento de “outras” patologias. E o depressivo? A falta da serotonina é comum em pessoas que já possuem  diagnósticos clínicos da depressão,  a falta desses neurotransmissores podem causar muitos dos sintomas que citei em parágrafos anteriores à pessoa que está doente precisa “equilibrar” as suas “reservas”

Tratamento e diagnósticos. 

Não haja como herói, não seja  indestrutível ou se sinta com vergonha de estar doente é o primeiro passo para cura. É difícil,  sofrível  e precisa da sua cooperação,   se você conseguir entender que este estado “emocional” precisa de aceitação para facilitar no tratamento é um ótimo indício para cura.  O que você irá fazer? Está ruim hoje? Guarde ‘smartphone’, não pesquisei nada relacionado a sua doença,  não assisti nada que possa lembrá-lo (la) da condição, não pesquise na ‘internet’, não leia bula de remédio.   Em hipótese alguma “crie” tratamento, veja bem! Volte aos parágrafos que citei o DSM V e veja haver inúmeros estados de depressão, “não tome”  “remédios” que foi indicado por “alguém que já teve depressão”  cada caso é  um caso. 

O que fazer? Procure ajuda médica especializada para poder te ouvir e analisar seu estado, o médico poderá te avaliar e prescrever o melhor tratamento. Geralmente é feito por antidepressivos  que agem bloqueando os “recaptadores de serotonina”, ou seja, o seu cérebro produz uma certa quantidade naturalmente  e estes recaptadores “puxam-lhe”, os remédios Irã bloquear os recaptadores deixando muitos mais, por mais tempo no cérebro.

 

Só a prescrição medicamentosa funciona? 

Lembra que informei que a luta contra a depressão deve ser “cooperativa”  você deve aceitar e enfrentá-la. Não adiantará “encher” seu corpo com substâncias químicas sem poder trabalhar o “emocional” de outras formas como terapia cognitiva comportamental ou análise?  É de suma importância que estas duas formas de tratamentos andem em conjuntos para poder ter um verdadeiro efeito contra a doença. 

É importante frisar que tratar doenças emocionais é um pouco demorado, precisa de semanas para obter os  efeitos benéficos. Muita gente “erra” em abandonar o tratamento dois, a cinco dias do início, por pensar que “não funcionou” “só me fez dormir”. Ser paciente é importante, os efeitos surgirão por volta de 15 a 20 dias e neste intervalo  deve estar em tratamento terapêutico para agilizar o processo de cura.

Uma forma que você possa burlar estes sentimentos e pensamentos ruins  é tentar “inverter” os pensamentos negativos. Ao invés de “morte” “vida” “suicídio” “humor” “insônia “ouvir música” o importante é desafiar e tomar o controle do emocional, é muito difícil, mas a persistência é necessária  não deixe esses sentimentos tomarem conta. E caso esteja sozinho há pessoas voluntárias que podem te ajudar. Até breve 😊 Acesse esse link abaixo.

 

https://www.cvv.org.br/

Fonte. DSM V

One thought on “Estar depressivo ou ser depressivo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Next Post

Conceitos basicos usados na astronomia.

seg mar 28 , 2022
Muitos de vocês já ouviram sobre este tema em livros de ficção científica, filmes ou séries. E muitos destes temas parecem um tanto confusos e estranhos, mas não deixam de ser bem interessantes. Quem já pensou na  possibilidade de visitar o passado ou futuro? O que aconteceria se tivéssemos essa […]